BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

sábado, 25 de abril de 2015

O PENSAMENTO NÃO É CASTRADOR (POEMA ALUSIVO AO DIA DA LIBERDADE - 25 DE ABRIL)



Hoje é o dia de todos aqueles que se atrevem... 

a acreditar, a dizer, a lutar, a fazer, a sonhar, a escrever, a pensar, a viver... 

VIVA A LIBERDADE!



O pensamento não é castrador
E por si só, merece-me inteira
Quem o negar é puro fingidor
Sou alma livre sem fronteira!


Da terra colho os seus frutos
No inferno escolho o pecado
No céu ajoelho, sou anjo astuto
E na água sei do olhar lavado!


Com esta mente vivo tão bem
Sem sequer lembrar minh’idade
Oh! Tanta pobreza o mundo tem
Que não lhes gabo a mentalidade!



Reprimo sim! Os que se inibem
Esses puritanos de fraca raça
Que nem bem nem mal vivem
São somente vento que passa!



24.04.15

quarta-feira, 8 de abril de 2015

LIBERDADE DE AMAR





















A essência da liberdade
Reside em amar
O que se faz
E o que se é capaz
De fazer pela felicidade.


Não há regras quando se ama
Quando se mantém acesa a chama.


A essência da liberdade
Reside em mim e em ti
Quando juntos somos
O que nos propomos
Mesmo em dias de tempestade.

Não há regras quando se ama
Quando se partilha a mesma cama.


A essência da liberdade
Reside em transformar
As coisas complexas
E as mentes perplexas
Em galhos de simplicidade.

Não há regras quando se ama
Não façamos disto um drama!


Liberdade é ser
O que se quer
O que se pretender
…VIVER!

Não! Não há regras quando se ama
Quando se mantém acesa a chama
Quando se partilha a mesma cama!
Não! Não façamos disto um drama!

sexta-feira, 3 de abril de 2015

NÃO TEMAS A PASSAGEM DOS ANOS



Não temas a passagem dos anos

Nem o rio que no olhar s’atravessa
Não tapes a cara com panos
Velhos rendilhados à pressa!


Não! Não queiras olhar p’ra trás

Nem olhes demasiado p’ra frente
Contenta-te apenas, em ser capaz
De viver serenamente, o presente!


Desfruta do sorriso amigo

Daquele olhar inesperado
Da mão dada ao desconhecido
Do contacto que foi trocado!


Detém-te nesses momentos

No quão são muito especiais
Esquece o relógio dos lamentos,
O ódio e todas as coisas triviais!




02.04.15
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...