BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

JÁ NEM SEI A MINHA IDADE

















Já nem sei a minha idade
São as vertigens que pesam
São os joelhos que rezam
À mínima dificuldade!

As horas passam paulatinamente
Já nem sei o que é doce
Já nem sei o que é ter posse
Até o amor me parece indiferente!

Subtraem-se os dias
Ao alento de viver
Já nem das pobres alegrias
Faço questão de saber…

Por aí, o que se diz
É que a juventude é feliz
E eu, com dezanove primaveras
Nem prazer no olhar, nem quimeras…

Já nem sei a minha idade
No meio da contradição
No meio desta maldição
Já nem distingo a felicidade!

21.05.13
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...