BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

DUETO JESSICA NEVES E GUILHERME MONTEIRO - DESENCANTO


















Nem as palavras ganham encanto
Nem a alma embala a solidão
Quando o olhar do corpo é pranto
Nada envolve o pálido coração…
Mas nele se desenvolve a redenção
Que é o sentimento atroz que persiste
Perdurando a voz profunda de afeição 
Que desamarra as palavras do desencanto
E alma da pura resistência ao embalo da exultação…

Cai em mim o espanto e desce a interrogação
Serei eu, chão colado à negra parede
O sorriso do início ou a agrura da conclusão?!
Enlaça-me pelas fendas dos olhos, a trágica rede
Negando talvez, a melhor interpretação…

E de súbito, novamente, numa fantasiosa quimera
Advém a profunda, primordial e essencial aceção 
Nascente fundamental à objeção da existência 
Que nos alevanta do puro pó primitivo e, como fera
Feroz e radical nos erradica da fenda dos olhos afoitos 
A nefasta rede que nega o bem ainda que revestido pelo mal.

01.03.13
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...