BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

NESTE MAR SEDENTO DE ACÁCIAS RUBRAS - DUETO JESSICA NEVES E CARLOS VAL


Quero-te tatuado no meu corpo
Como quem quer infértil a madrugada
Ser poesia em pele entranhada
Nas entranhas desta impudica amordaçada
Respirar por todos os poros
Onde o ar se entrega sem medo
Desnuda-se o olhar sem segredo
E o orgasmo das ondas junta-se a nós
Somos cântico entoado a uma só voz
Neste mar sedento de acácias rubras
Desfeito em cada pedaço de mel
Onde perdura o fel
No sílex inconformado
No ventre (in)saciado
Fervilho, adoço e arrepio o desejo
Todo este ensejo
De dor e pecado
É o meu corpo (n)o teu
A fazer(-se) céu
Nu(m) poema embriagado…

Sem saber se volto ao teu corpo sibilante
Declaro-me hoje que te tenho a meu lado
Quero apenas morrer nos teus braços
Despertar dos teus lábios o chiste…
E quando a manhã chegar
Conta-lhe a nossa história
Só o voo da águia saberá a glória
Que poisou esta noite em nós
Amor!...

25.07.12



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...