BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

(DESPI-ME DOS OUTROS E) VESTI-ME DO QUE O MEU CORPO PEDIA

O relógio da igreja marcava as nove badaladas.
Naquele domingo o sol tinha nascido nos meus olhos.
Já havia morrido tantas vezes!...
Acordei com vontade de renascer. Precisava de me sentir bem! Precisava simplesmente de me sentir, mulher! Era o meu dia!
Despi-me dos outros e vesti-me do que o meu corpo pedia!

Necessitava de recuperar a autoestima. Sentirmo-nos bem ajuda bastante na relação connosco próprios.
Abri o armário e escolhi o meu melhor vestido. Azul, a minha cor preferida!
Enfeitei-me um pouco (mais) de alto a baixo. Coloquei um batom brilhante como o sorriso que se alastrava pela minha face rosada. As minhas unhas pinceladas da cor do vestido e das pulseiras e os saltos altos abrilhantavam a minha sensualidade. Deixei o cabelo solto, ao natural.
Admiro a minha simplicidade!
Estava preparada para enfrentar o mundo com uma passada firme, confiante!
Deparei-me, desde logo, com os meus pais, curiosos, a questionar o porquê de me vestir e arranjar daquela forma (simples, mas diferente do habitual).
Limitei-me a mostrar o sorriso que me enchia o olhar e a responder:
- Precisava de me sentir bem… e comecei hoje esta minha caminhada!
Calados, não se opuseram e eu sei que eles, no fundo, ficaram felizes por mim, assim como eu! Pela atitude, pela mudança, por querer cuidar de mim e sentir que isso é importante!
Perante o olhar aceso de muitos ao longo do dia, espanto e elogios habitavam a boca dos que me abordavam e dos que guardavam para si as suas opiniões - irrelevantes -denunciadas pelos olhares que muito dizem!
O maior elogio era, sem dúvida, o MEU!
HOJE SOU, MULHER!
    

                                     
                                                      18.05.12



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...