BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ ANO NOVO!



É tempo de agradecer toda a partilha...
Obrigada por me acompanharem ao longo deste ano e meio de blog!
Que o próximo ano se repita na vossa companhia..
.

Desejo-vos um ano 2013 polvilhado de alegria, saúde, carinho, amizade, paz e acima de tudo, amor... e POESIA!

Nunca desistam dos vossos sonhos... e encarem a vida com um sorriso mesmo nos dias de maior escuridão... O arco-íris mesmo parecendo estar oculto, está sempre lá... e mais cedo ou mais tarde, sobressai.

Beijinhos de poesia na alma e no coração *

Jessica Neves *

sábado, 29 de dezembro de 2012

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

RETALHOS SOPRADOS DO CORAÇÃO

 
 
 
As pétalas de rosas rubras estão
Nos cinco sentidos que me leem desse lado
Que presenteiam meus olhos e enfeitam meu coração…
Sorridente trago meu rosto, por te/vos ter cativado!

27.12.12

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

MORRE-ME UM POEMA DENTRO DE TI



Vislumbro pássaros feridos em noite de partida
Nu(m) abandono que nasceu em mim
Onde tudo é terra infértil numa pele engelhada
Morre-me um poema dentro de ti…

A lua escapa-se entre os dedos
Prevalecem as sombras d’outrora
Trazendo consigo teus medos
Apagando a mais genuína flora…

Mendigo por todos os meus recantos
O embrulho da tua carne acetinada
Tombo de joelhos, mil e um prantos
Fechaste os olhos à minha morada…

Morre um poema dentro de ti
No sussurro das cinzas empoleiradas nos teus cabelos
Sim! Morre-me um poema, aí
Em céu aberto polvilhado de muralhas e pesadelos…

20.12.12

domingo, 23 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL!

Votos de um Natal feliz repleto de coisas doces e um ano novo excelente pleno de realizações: sorrisos e sucesso!
Natal repleto de saúde e paz
Que o olhar positivo do futuro
Não nos faça olhar para trás!

Beijinho grande de poesia na alma e no coração
 
 
 


 

 

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

QUANDO SINTO O TEU BEIJO

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Quando sinto o teu beijo
Levanta-se a terra e o mar
Deita-se num hino ao desejo
Que me faz por ti delirar…

Quando sinto o teu beijo molhado
Apaixonado, vibrante, lambuzado
O meu corpo deixa-se enfeitiçar
E sem vestes, pede para te amar…

Quando sinto o teu beijo ardente
O prazer apodera-se de mim
Lábios colados, um sabor quente
Faz-me querer-te para lá do fim…

Quando sinto o teu beijo
Deixo-me levar pelo desejo…

19.12.12

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

"DENTRO DA PENUMBRA", PEDAÇOS EM PROSA




Há pessoas que necessitam de (muita) atenção e precisam de conversar constantemente, enfim de desabafar. Sou boa ouvinte mas confesso que me cansa, por vezes… Estou tão cheia de mim que me custa ouvir as lamúrias dos outros. Todos precisamos uns dos outros, é certo.
Mas há momentos e momentos. Nem sempre me sinto capaz psicologicamente.
Falta-me disponibilidade e frescura na alma. Falta-me respirar outros ares, sentir liberdade…
Preciso de espaço para mim. Preciso do tempo, que nem sei se existe, mas quero-o todo, devoro o mundo para lá chegar. Podem-me chamar egoísta, talvez seja, por querer o tempo só para mim…
Não me questionem, sou assim!
Somam-se os dias e a rotina.
O cansaço de mim e em mim faz com que a exaustão e a impaciência sejam dois mares que me rodeiam.
Se perguntarem por mim, digam que fui ali e já venho.
Talvez volte (ou não)!

12.12.12


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

"O OUTRO LADO DE MIM (SEM TI)", "(CON)TEXTOS D'AMOR", PEDAÇOS EM PROSA


É o lado esquerdo que me dói.
É a saudade pincelada num quadro a preto e branco que me (dest)rói cá dentro.
Este é o outro lado de mim - sem ti.
A todo o momento, carrego o vazio das sensações, o cheiro dos teus cabelos nos meus dedos, o toque dos teus lábios molhados (nos meus), o sabor do teu corpo salgado e o teu olhar apaixonado…
Um dia fomos tudo, hoje somos nada…
mas há recordações que a alma não apaga!
Guardo-te e amo-te em silêncio, em segredo.
Não rompas o silêncio.
Guarda este segredo.
Confio em ti como sempre confiei o meu amor…


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

DUETO CARLOS VAL E JESSICA NEVES - ONDE AS CAMÉLIAS SE DESPEM EM GESTOS




 




 












Gela-me o ventre da alma
o meu corpo encolhe-se na tua boca
à procura de um céu inquisidor
feito de (astro)lábios
onde as camélias se despem em gestos
prematuros num manancial de aromas
poeticamente cálidos
como o vinho que saboreio nos teus dedos
feitos de espuma púrpura

em lençóis carcomidos
p
elo tempo ainda vindouro
sedento de nós
de tudo e de nada que nos pertence
como o sol agreste que nasce nos teus cabelos

 
As mãos, o toque, a carne e o desejo
são a fonte do beijo que procuro
do laço infindável que nos une
e desune pela mesma razão
onde o amor e o ódio se tocam, tão perto…
Jamais caberemos num mundo só nosso
porque metade de mim é infinito
e a outra metade está escrita no teu olhar…
…Descobre-me.

03.12.12





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...