BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

terça-feira, 31 de julho de 2012

SERÁ PECADO (AMAR-TE)?!


Às vezes não sei se amar-te é pecado
Há tanta coisa que nos teus gestos me magoa
Às vezes penso que vivo (n)um filme equivocado
E que ando no mundo só por respirar, à toa…

Às vezes não sei se amar-te é a melhor solução
Viverei eu para sempre neste silêncio errante?!
Nem te preocupas em enfeitar este pobre coração
Amor começa com vogal e não com consoante!

Quanto mais te amo
Mais me menosprezo
Sou pássaro sem asas no ramo
Da árvore sem fruto, preso…

Porque é que sempre que te chamo
Insistes em me calar com esquemas?
Diz-me, porque é que eu ainda te amo
E te continuo a escrever poemas?!

A culpa está embriagada nesta linha
Nem é tua nem nossa, só minha…
Talvez seja mesmo pecado amar-te
O amor assim não tem (a mesma) arte!

07.06.12

segunda-feira, 30 de julho de 2012

RETALHOS SOPRADOS DO CORAÇÃO - DUETO COM NIVALDO FERREIRA


Deixo-vos hoje o dueto improvisado que surgiu através dos "Retalhos soprados do coração" publicados ontem e que o Nivaldo Ferreira teve a ousadia de ilustrar.
Espero que gostem!

domingo, 29 de julho de 2012

RETALHOS SOPRADOS DO CORAÇÃO

LIVROS "(SEM) PAPEL E CANETA, (COM) ALMA E CORAÇÃO"



Chegaram na passada sexta feira mais livros "(Sem) Papel e Caneta, (Com) Alma e Coração" :)

Se alguém estiver interessado em adquirir o meu livro de poesia (com (ou sem) dedicatória e em sua casa) é só entrar em contato comigo por aqui ou através do email: jeneves17@gmail.com

A poesia não vive sem o público!

Obrigada :) *****

sexta-feira, 27 de julho de 2012

NESTE MAR SEDENTO DE ACÁCIAS RUBRAS - DUETO JESSICA NEVES E CARLOS VAL


Quero-te tatuado no meu corpo
Como quem quer infértil a madrugada
Ser poesia em pele entranhada
Nas entranhas desta impudica amordaçada
Respirar por todos os poros
Onde o ar se entrega sem medo
Desnuda-se o olhar sem segredo
E o orgasmo das ondas junta-se a nós
Somos cântico entoado a uma só voz
Neste mar sedento de acácias rubras
Desfeito em cada pedaço de mel
Onde perdura o fel
No sílex inconformado
No ventre (in)saciado
Fervilho, adoço e arrepio o desejo
Todo este ensejo
De dor e pecado
É o meu corpo (n)o teu
A fazer(-se) céu
Nu(m) poema embriagado…

Sem saber se volto ao teu corpo sibilante
Declaro-me hoje que te tenho a meu lado
Quero apenas morrer nos teus braços
Despertar dos teus lábios o chiste…
E quando a manhã chegar
Conta-lhe a nossa história
Só o voo da águia saberá a glória
Que poisou esta noite em nós
Amor!...

25.07.12



quinta-feira, 26 de julho de 2012

(HOJE) O BLOG FAZ UM ANO!



Pois é! Pois é!...
Parece que foi há tanto tempo
Ainda é um bebé
Tenho de marcar o momento!

Começou com singela poesia
Como estes versos agora
Fluiu noite e dia
E foi por aí fora!...

Entre versos d’alegria
E outros de luto
Gritei de euforia
Ao ver o belo fruto!

De incentivo em incentivo
Colhi o fruto, o meu livro
Numa pequena caminhada
Que sempre fez/faz aqui morada!




Deixo meu humilde agradecimento
Agradeço aos leitores
As visitas e os comentários…
Por me acompanharem diariamente
Por sentir que tenho alguém desse lado

É (também) isso que me move a escrever…
Saber que (um dia) alguém me vai ler…


J

ESPERO QUE O VOSSO BALANÇO SEJA TÃO POSITIVO QUANTO O MEU!
SABENDO QUE A VIDA
ALÉM DO PERFUME DAS ROSAS
TEM AINDA ESPINHOS...

PORQUE ESTE BLOG ALÉM DE MEU
TAMBÉM É VOSSO
É NOSSO!
 


A MINHA META AQUI ALÉM DE SER
CRESCER A CADA DIA
ERA ATINGIR (NUM ANO) AS 15 MIL VISITAS!
NÚMERO (MAIS QUE) ATINGIDO!

OBRIGADA!
E QUE VENHAM MUITOS, MUITOS MAIS ANOS
A CONSTRUIR SONHOS EM FOLHAS DE PAPEL…


VIVA O BLOG!
VIVA A POESIA!
ALEGRIA! ALEGRIA!

LUTEM SEMPRE PELOS VOSSOS OBJETIVOS…
SEMPRE!


Jessica Neves *

domingo, 22 de julho de 2012

DUETO CARLOS VAL** E JESSICA NEVES - NUM (SÓ) GESTO


** (Pseudónimo literário de Conceição Bernardino)


Uma pétala de luz percorre o teu rosto tão sublime
E a minha sombra olha-te sem despudor nas insónias
Assalta-me a fome incerta de te acordar
Obriga-me a amar-te loucamente
Até que a última gota de sol se consuma entre nós

Curvo-me para o papel onde as lágrimas
Numa luta acesa contra o tempo
Se regeneram na chuva e no vento
Completo o beijo na fulva das cerejas
Levanto os olhos
E de volta às sombras
Estendo os braços para te acolher
Rendida ao nosso (a)mar de mágoas
Encolho-me como se fechasse
O meu corpo dentro do teu
Num só gesto
Eterno.

20.07.12

sexta-feira, 20 de julho de 2012

LOUCURA FASCINANTE


Hoje foi realmente um dia menos bom. Não gosto de dizer que foi mau ou pior que os outros!
Não sei se o amanhã será melhor nem se as coisas serão tão claras para mim como a água é para os meus olhos enxugados em ti… Mas quero viver e isso ninguém me pode tirar!
Sim! Viver! Viver é aproveitar! É dar de mim para poder receber… É querer e lutar!
Continuarei a sentir-me louca, a arriscar, a sentir como ninguém sente, como só eu sinto! Continuarei até transcender o possível e o imaginário!
Creio que não haverá mal nenhum nisso… em ser assim! Bem pelo contrário, ser louco é ter grandeza de ir mais além, é ser maior, arrisco mesmo a dizer, é ser ENORME!
Na palma da mão trago sonhos que não confesso a ninguém… agarro-os com tanta força para que se possam tornar realidade… um dia quem sabe, talvez possa ser rainha do meu castelo… construindo a cada passo o telhado do meu próprio reino!
Mesmo sem que me aperceba, mesmo que os meus pensamentos e sentimentos me levem para longe de mim e de onde me quero… Eu hei-de conseguir!

A loucura, é sem dúvida, algo fascinante que quero preservar e ter comigo pela vida fora!
Só assim colherei o melhor de cada noite… transformando-a em dia repleto de sol!

quinta-feira, 19 de julho de 2012

NASCE (MAIS) UM POEMA - DUETO ANA COELHO E JESSICA NEVES


Nas pedras de um canteiro

nasceu a mais bela cor
num desabrochar sereno
que o vento roubou...

Floriram os olhos meus
Em tons do nosso amor
Nos lábios pedindo os teus
Nasceu a mais bela flor...
Um lírio branco espalhado
pelo campo selvagem
entregue pelo céu liberto
onde amor é uma palavra de valor...

Quero confessar minha paixão
Sem vestes, sem dilema
Estendo-te meu coração
Nasce para ti, (mais) um poema!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

APETECE(S)-ME


Teu olhar sedutor conduz teu charme
Teus lábios pedem um beijo de morango
Meus sentidos despertam como alarme
Calam-se as bocas em pleno tango...

Após tua língua faminta sugar
Apetece(s)-me, teu corpo no meu
É fogo a querer(-se) desabotoar
Rumando ao expoente máximo do céu!

Rende-se a lua ao nosso encanto
Apetece-me navegar, apetece-me vinho
Apetece(s)-me, apeteces-me tanto!
Apetece-me contigo amor, fazer ninho!

14.06.12

terça-feira, 17 de julho de 2012

PERGUNTARAM-ME (POR TI) - DUETO MIGUEL CRUZ E JESSICA NEVES





Perguntaram-me por onde andava
Vi-me passeando pelo meio do Nada,
Com o olhar de cima a baixo te tocava
Eras tudo! Encontrava-me enfeitiçada…

Com o vento me lembrando d’existir
Soprando-me os cabelos e o Ser
Agarrei-te p’ra não deixar fugir
Os versos que tinha p’ra te dizer!

Perguntaram-me por quem suspirava
Contemplando-te, na perfeita miragem
Correndo para ti, teu sorriso me beijava
Meus lábios pelo teu corpo faziam viagem!

Contornando o início de tudo e nada
Poisava levemente em teu peito
Meu rosto branco gélido, d’almofada
Sussurrava-te este amor (im)perfeito…

segunda-feira, 16 de julho de 2012

GOL(P)ES DUROS


Ajoelho-me e rezo sob esta parede cinza morna e oca
O burburinho quer esconder-me atr
ás dos (teus) ombros
Teu sorriso n
ão mora mais em mim nem na minha boca
Meus olhos enxovalhados decaem (em) plenos escombros!

As nuvens empurram-me todas as noites contra o teu corpo
J
á nem o peito cheio d’afagos da lua engravida meus dias
H
á ao fundo da rua um quarto esfumado em mármore morto
E uma poeira dormente que me sussurra palavras frias…

Nem sei falar-te do naufr
ágio que me cresce nas unhas
S
ó sei que (sobre)vivo no pretérito (im)perfeito
Quero esquecer-me das m
úsicas que com o olhar compunhas
E dos versos que me rasga(va)m o peito!...

Às vezes, pergunto por ti à vida
Que te levou ainda eu estava a chorar
Adormeceste ao meu colo na despedida
Deixei-te partir! Com tantas raz
ões p’ra te acordar!…

Esta pena que te cospe em gol(p)es duros
É a linha que impede a passagem dos muros.
Como posso crer que Deus é perfeiç
ão?
S
ó existe orvalho tépido no meu coração!

Podes pintar meus l
ábios com os teus lápis de cor?
Ou ser
á demais pedir-te que faças isso, meu amor?!

07.06.12

domingo, 15 de julho de 2012

A TODOS... *



Lançamento do Livro (Sem) Papel e Caneta, (Com) Alma e Coração de Jessica Neves, no dia 14 de Julho, no Café Santa Cruz, em Coimbra

A TODOS... *

* A todos os que marcaram presença ontem num dia importante e inesquecível para mim... (e para muitos que partilharam comigo a mesma alegria, a mesma emoção, o mesmo ORGULHO)!

* A todos os que (infelizmente) não marcaram presença mas fizeram questão de justificar a sua ausência, desejar sucesso e felicidades!
...
* A todos os que ENCHERAM o Café Santa Cruz, não só com a sua presença mas com a sua energia positiva!

* A todos os que fizeram quilómetros e quilómetros (só) para estar presentes neste meu dia especial...!

* A todos os que colaboraram no evento para que cada momento fosse PERFEITO!

* A todos os que me apoia(ra)m nesta humilde e ainda curta (mas tão desejada longa) caminhada o meu OBRIGADA (SEMPRE)!

Desejo-vos, em dobro, aquilo que me desejam a mim!

Vou deixar este evento em aberto, porque na minha opinião,
AS COISAS BOAS DA VIDA DEVEM SER MARCADAS E NÃO APAGADAS! :)

Deixo também, este meu/vosso espaço ao vosso dispor, para que partilhem opiniões acerca do dia de ontem, do livro, dos poemas.

*****************************************************************

Como é bom alcançar sonhos... *
É como se a cada rosa que nasce se plantasse um sorriso... :)

Sorriso e olhar, o meu reflexo num dia marcado de emoções à flor da pele!

OBRIGADA A TODOS! **********

SEJAM FELIZES!

NUNCA DESISTAM DOS VOSSOS SONHOS POIS SÓ ACREDITANDO NELES E LUTANDO POR ELES OS CONSEGUEM ALCANÇAR!

POUCAS SERÃO SEMPRE AS MINHAS PALAVRAS COMPARADAS COM O VOSSO CARINHO ♥

O meu humilde agradecimento ETERNO,
(Como o dia de ontem)

Beijinhos com Alma e Coração,

Jessica Neves *

sexta-feira, 13 de julho de 2012

DUETO ANA COELHO E JESSICA NEVES - LUAR VAZIO



Há um azul que me foge
No pó que as mãos aquecem
Quando do céu se soltam gotículas
Com as formas do olhar em despedida

Há um luar vazio em poeira acesa
Na boca um poema de lábios gretados
Incomoda um rumor debaixo da mesa
Onde os pés traçam trilhos calejados


Na tonalidade escura do fundo
Encontro o mais claro das feridas
Nas estrelas caminho ao encontro do sol
Para nascer em cada choro da madrugada
...renovada...com a paz a vestir o sorriso amigo!

Nas minhas mãos uma fissura aberta
Nos meus olhos um futuro distorcido
No meu rosto uma dor (in)certa
No meu peito um sabor t(r)emido…

E não fosse a luz que me guia

Tudo seria uma tempestade sem saída


16.06.12

quinta-feira, 12 de julho de 2012

(P)RENDO-ME A TI


Habita-me a lembrança do teu fato
Sou teu laço apertado e tua gravata
(P)rendo-me a ti, jamais desato
Tantas vezes amor nos fere e mata!

Tantas vezes me despes com teu olhar
Tantas vezes és meu sem (me) querer
Um dia, falo-te de amor! Vou-te confessar
Quão é bom amar mesmo a sofrer!

Prende-me a ti teu sorriso doce
(P)rendo-me a ti mesmo a chorar
Quisera eu ter-te na minha posse
P’ra ao teu compasso um tango bailar!

Prende-me a ti a saudade, o desejo
(P)rendo-me a ti, (p)rende-te a mim também
Dá-me a vida toda num só beijo
P’ra que possa voar e (contigo) ser alguém!

05.06.12

quarta-feira, 11 de julho de 2012

DUETO ROSA FONSECA E JESSICA NEVES - OLHAR VAZIO

Todo o olhar se esvazia desta janela fechada
Entre o pó das tuas vestes não há mais nada
Percorro todos os versos que me faltam p’ra chegar a ti
Num silêncio gritante que anuncia a noite
Ao longe poisam astros sombrios…
Espero pedaços de sol e tardes brandas
Nos teus lábios murchos desfolhados
Onde expiram as palavras
E tu estás tão distante…
Só ao pôr-do-sol me alcanças
Quando trazes no seio um pedaço de amor...
Soltando afagos apertados a clamar por ternura
Meus olhos salgados beijam o quanto te amei

…Tanto!

terça-feira, 10 de julho de 2012

ÀS VEZES


Às vezes gostava de te arrancar aquele sorriso que se espalha pelo olhar
E te deixa com um ar
Tão ronronante, tão felino
Que apetece-me seduzir-te e dizer-te ao ouvido: vem cá meu menino…
Apetece-me chamar-te, gritar…
Deixar-me levar pelo momento
Como é possível pelo meu olhar
Não reparares no meu sentimento?

Apetece-me fazer uma viagem
Meter-me no comboio, sair na tua paragem
E perguntar a cada pedrinha de alcatrão
Onde mora o dono do meu coração?!

Só queria dizer-te bom dia e desaparecer
Demonstrar-te quão é simples este querer
Às vezes apetece-me espancar-me, ver
Se abro os olhos e te consigo esquecer…

Às vezes queria deixar de sentir este peso
E gostava de te tratar com desprezo
Porque afetas-me duma maneira
Como se fosses a minha vida inteira!

Apetece-me dizer-te o quanto gosto de ti
Tenho medo que te assustes se te disser
Apesar daquilo que sinto não poder mais esconder
É estranho mas estou apaixonada desde que te conheci.

Enfim, calo-me e adio por mais um dia
Aquilo que nunca devia ser adiado
E o que podia ser presente, será passado!
Sinto ódio de mim e acabo vazia.


Um dia poderás ter alguém!
Vou atirar todas as pedrinhas para a tua porta
Vou-me sentir como ninguém
Numa sombra em carne morta.

07.06.12


                                  *Poema inspirado no texto de uma amiga

segunda-feira, 9 de julho de 2012

ATÉ QUE ME MATE A PALAVRA


Irei ler-te (sempre) poeta
Mesmo que me sangrem as mãos
Minh’alma carcomida, irrequieta
Quer-se invadida p’los teus versos vãos!

Irei ler-te (sempre) poeta
Até cegar lentamente meus olhos
Sob esta mármore preta
Rezo esfarrapando meus joelhos!

Mesmo que sob meus pés
Os troncos das árvores se abatam
Cavalgarei até saber quem és
Lá, onde as fontes prenhes se desatam!

Irei ler-te (sempre) poeta
Até que me mate a palavra
Sábia, morna, secreta
Essa que tudo lavra
E da curva faz reta!

Até à última gota
Acredita em mim
Irei ler-te poeta
Hoje e até ao fim!
03.07.12

domingo, 8 de julho de 2012

(A PRAGA D)O FANTASMA


Não!
Não é o inferno que me deixa sem dormir
Nem a casa desabitada sem o teu perfume
Não é o mendigo na rua sem palma, a pedir
Nem o arrepio d’inverno suplicando lume!

Não!
Não é o sol que me deixa sem dormir
Nem os gritos possuídos da trovoada
Não é o assaltante que desata a fugir
Nem o pássaro acordando a alvorada!

Não!
Não é a lua que me deixa sem dormir
Nem o céu cinzento sem qualquer luz
Não é o verão insistindo em não surgir
Nem este poema que não me seduz!

Não!
Não é a tua falta que me deixa sem dormir
Nem os dedos que m’impedem d’escrever
Há um pesadelo ruim que me quer impedir
D’acreditar e lutar para os objetivos vencer!
Não!
Não é o véu da noite que m’embriaga
Nem o vento louco que bafeja a norte
Esta náusea lambida que virou praga
É o legítimo amigo fantasma da morte!

05.07.12

sábado, 7 de julho de 2012

QUERO-TE TANTO


De ti, quero sentir cada recanto 
Colocar minha mão nua sobre a tua
Sentir tua tez fresca em mim à lua

Ceder meu olhar ao melhor encanto

Quero mergulhar nua em nosso pranto
Misturar meus lábios nus com os teus
Fazer dos teus desejos só os meus
Perder-me contigo no entretanto…

Quero poisar levemente em teu peito
Sentir nossa união num abraço
Em que sou águia num voo perfeito!

Quero conceder a pele ao encanto
Dizer-te sempre ao nosso compasso:
 Meu amor, quero-te tanto mas tanto!


20.06.12

sexta-feira, 6 de julho de 2012

AMEI-TE (DEPRESSA) DEMAIS


Ainda a noite não era noite, já eu te amava
As papoilas beijavam (s
ó) meus pés
J
á o teu corpo de seda acariciava
Sem saber verdadeiramente quem és!

Amei-te (depressa) demais!
Ainda eu n
ão me despia à tua frente
Cantarolava ao compasso dos pardais
J
á te amava… perdidamente!

Ainda o mar n
ão sabia de nós
Nem a lua poisava leve em teu regaço
J
á eu nos anunciava a uma só voz
E imaginava o mundo em nossos braços…

Amei-te antes das curvas da despedida
Ainda a rua n
ão estava em pranto
Amei-te tanto!
Que de me acabei perdida…

Quis-te antes de tudo
Até antes de mim
O meu peito ficou mudo
S
ó lhe conheci o fim!

Hoje, sei que te amei (depressa) demais
Tudo desabou em meus olhos de hortel
ã
Em v
ão, muitos gestos foram banais…
Pensando no triste sabor d’amanh
ã!

13.06.12

quinta-feira, 5 de julho de 2012

DUETO ROSA FONSECA E JESSICA NEVES - NA VOZ DO MAR


 

Devolves-me o olhar como o mar às ondas
Envolto em espuma a desfalecer nos meus braços
Toda a vertigem está nas carícias dos amantes…

Na vasta paisagem do teu corpo
Contorno cegamente este aperto sem espaços
Perco-me onde me sei encontrar, por eternos instantes
Devolvo-te o olhar presenteando-te com um beijo embebido
De sal em teu rosto de lua cheia acariciado…

Todos os silêncios são noites cheias de presença de ti
E de legítima veneração…
Poisas neste leito adornado a algas e búzios na voz do mar
Descansas o teu corpo, esquecendo a razão
Nesta ilha verdejante onde me agasalhas o olhar.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

ESPERO-TE À MESMA HORA DA SOLIDÃO


O teu nome ficou bordado no tapete do quarto
Só as minhas mãos molham o ácido chão
Sou mulher em pleno parto
Gemendo em êxtase esta solidão!

Acendo a TV
                                                           [com as mãos gritantes
Estás em todos os canais
Diz-me porquê?!
                                                             [Não é só por instantes
És(-me) sempre demais!

O cabelo acabei de atar
Faltam os teus dedos
Para o desembaraçar
E levarem meus medos!

Espero-te como ontem, no chão
Do meu quarto, com a TV ligada
…À mesma hora da solidão…
Em que me és tudo e sou(-te) nada!

16.06.12

segunda-feira, 2 de julho de 2012

(NÃO É FÁCIL) ESCREVER PARA TI


Escrever para ti…
É encher de brilho meus olhos
Com o suor que me escapa da mão
É dar-te ramos de rosas aos molhos
De quantos afetos habitam meu coração!

Escrever para ti…
É murmurar o que penso
Do amor que trago no seio
Somos um todo imenso
Sem nada no nosso meio!

Escrever para ti…
É repousar o pensamento
Em laços moldados ao peito
É querer(-te) mais que o momento
Em que és meu sonho perfeito!

Escrever para ti…
É dar-te o melhor de mim
Em linhas nossas, sentidas!
É caminhar sem olhar o fim
Como meras recordações vividas!

Escrever para ti…
É o meu fiel eco
Um grito de emoção
Contigo eu peco
Esquecendo a razão!

Escrever para ti…
É (d)escrever-te como és
Escrever para ti…
É amar-te da cabeça aos pés!...
Quando penso que mais um poema se fez
Dizendo(-te) a verdade, menti…
Curvo-me perante minha pequenez
Não é fácil escrever para ti!
28.06.12

domingo, 1 de julho de 2012

CONVITE LANÇAMENTO DO LIVRO - ESTÁ QUASEEE!



LANÇAMENTO DO LIVRO DE POESIA DE JESSICA NEVES
DIA 14 DE JULHO, PELAS 17 HORAS, NO CAFÉ SANTA CRUZ, EM COIMBRA!

APROXIMA-SE UM/O GRANDE DIA!
Para meu desejo e desejo de muitos que me rodeiam!
Aos leitores, deixo o convite e espero contar com a vossa presença :)

***********************************************************************************

DEIXO UM VÍDEO QUE ME FOI ENVIADO COM TODO O CARINHO PELA SONIA CHRISTINA (BRISA DO MAR) QUE FEZ QUESTÃO DE ILUSTRAR UM POEMA MEU (COM ALGUMAS INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE O LANÇAMENTO DO LIVRO):
http://www.youtube.com/watch?v=XVaDE7p_pGc

OBRIGADA SONIA CHRISTINA PELO TEU CARINHO ALÉM-MAR, FELICIDADES!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...