segunda-feira, 30 de abril de 2012

MEUS OLHOS O TEU SORRISO (AMIGO)


DUETO JESSICA NEVES / ANA COELHO

Leve, pegas na minha mão
Como quem pede amizade
Lembras que só a dois, um coração
Pode atingir a felicidade

Sussurras ao meu ouvido murmúrios,
Para tornar o caminho mais leve,
Lado a lado as esferas semibreves
São confidências perto do paraíso

Emprestas aos meus olhos o teu sorriso
Onde me lavo em noites sombrias
Num afago quente dás-me o que preciso

Meu anel de fogo de todos os dias
é o lívido sentido que partilho contigo
num cântico escolhido, do teu lado amigo!
29.04.12

sábado, 28 de abril de 2012

SURGE(S) UM POEMA




Hoje ao ler teus olhos de seda pura
Pendurei-me no sorriso que me ofereces
Meu anel de todos os dias
Surge(s) um poema
Onde te invento à hora de sempre
Debruçada no meu querer
Deixo a janela do peito (entre)aberta
Para que possas soprar-me baixinho
De ti,
De mim,
De nós…

Haverá rosas em fogo
E mil beijos em flor na despedida
Enquanto te espero no sorriso (de sempre)
Deito-me ao (com)passo da lua
No teu leito
Divago…

Surge(s) um poema…
Desmedido.

28.04.12

PABLO ALBORÁN - PERDÓNAME


https://www.youtube.com/watch?v=J0vsnFmSgHo

quarta-feira, 25 de abril de 2012

RESQUÍCIOS (DE TI)


Habita(s)-me rastilho, trazes resquícios
Sinto-te morrer em meus olhos breves
Fugaz, procuro-me em teus interstícios
Magoas-me até nas gotas mais leves

Veste-me a sombra do teu cego olhar
Pudesse eu livrar-me deste turbilhão
Tinha tantos “bons dias” p’ra te dar
Com palavras também se despe o coração

Deixa-me falar-te dos barcos que navegam sem nós
Deixa-me ensinar-te como (cl)amar a uma só voz!
Deixa-me olhar pelo sorriso que me emprestas, sei lá
Como se vive a dois por inteiro se não estás cá?!
(A)batem-me vestígios (aqui)
Neste papel triste…
Nesta dor qu’insiste
Onde bordo resquícios (de ti)

.

23.04.2012

terça-feira, 24 de abril de 2012

ETERNO ABRIGO



Hoje dou-me a ti, sou teu eterno abrigo
Se me faltam teus olhos, teu sorriso trago
Caminho de mãos dadas, trago-te comigo
Sinto teus lábios ávidos ao calor dum afago
Sei que um dia por ti valeu a pena a espera
Uma vez ouvi o luar extasiado falar de nós
De volta, trazes no bolso a nossa Primavera
Quanta ternura é um sorriso a uma só voz

Não falemos mais das noites sem lume
Hoje nos teus olhos habita um cardume
És mais que o rumor do meu perfume
Amor, ler-te é contigo atingir o cume!
19.04.2012

segunda-feira, 23 de abril de 2012

OLHOS PRENHES


Se no desabotoar pleno da flor
Ao teu sorriso me (p)rendi
Dedilhando pétalas de amor
Dos teus olhos de cetim me vesti

Quão pura é (noss)a Primavera
Os teus olhos (n)os meus
Erguemos estátuas de cera
No íntimo perfumado dos céus
Prenhes estão nossos olhos
Se revelando a toda a hora
Bailando versos em folhos

Neste (a)mar quero-te agora
Nem que seja como amigo
O amor pode ser inimigo.

sábado, 21 de abril de 2012

ABREVIATURAS


Trago o peito em cruz, desperta uma fissura
Dói-me a vida, dói-me o canto do rouxinol
Colossal é a pobreza, pobre é a fartura
Dói-me a morte aquando a ausência do sol!

Trago o peito em cruz, alastra-se a fissura
Dói-me a alma, dói-me a luz da natureza
Tu dóis(-me) cá dentro! Quanta tristeza!
Quisera eu que abalasse est’amargura!

Neste cais da vida que me leva e nada (me) traz
Insisto em querer saber se algum dia fui audaz
Agora, olhando para o tamanho desta fissura

Encerra-me a vontade de querer ser capaz
Resta-me falsificar em itálico minh’assinatura
Não sou completa (já disse)! Sou abreviatura!

19.04.12

quinta-feira, 19 de abril de 2012

EIS O MANTO DA NOITE CHEGANDO


EIS AI O MANTO DA NOITE CHEGANDO
MIL ESTRELAS EM FOGO (EN)CANTANDO
QUÃO LINDO É O CÉU TODO ENFEIT(IÇ)ADO
AO MEU OLHAR EMBEVECIDO ENTRELAÇADO
(NO TEU)

quarta-feira, 18 de abril de 2012

LINDO NÃO SEI ONDE ME LEVAM MINHAS SANDÁLIAS



Lindo, não sei onde me levam minhas sandálias
Mas quando tocam teu peito florescem dálias
Se te sinto perto ao calor do nosso abraço
Tu sabes amor o quanto quero o teu regaço

Lindo, talvez minhas sandálias passo a passo
Entre montes e vales caminhando pelo prado
Façam de nós um cruzamento no mesmo espaço
Se sinto teus olhos (n)os meus, lado a lado

É de mãos dadas contigo que quero caminhar
Num sorriso a dois desabrochando como flor
Beijando-te, sei que só pertenço ao teu olhar


Lindo, minhas sandálias me levam até ao luar
Quisera eu falar-te da vida e falar-te de amor,
Apenas me apetece dizer-te: amor sei-te de cor!

15.04.2012

terça-feira, 17 de abril de 2012

segunda-feira, 16 de abril de 2012

AMO-TE HOJE



Amanhã poderei não saber distinguir o céu do (a)mar
Se tão puro é o que teus olhos revelam a toda a hora
Não saberei das searas que engravidam o teu olhar
Não quero amar-te amanhã, prefiro amar-te agora

Amo-te hoje, amor…
Para ti amanhã será sempre tarde
As palavras poderão já não chegar
E o amor cairá num peito cobarde
O nosso poema não irá mais rimar

Amo-te hoje, amor…
Porque hoje sei (d)o sopro que te move
Da tempestade que te toca e me comove
Tudo o que te dói em mim também chove
E só hoje ao ver-te sorrir me sinto in love

Amanhã poderei já não contemplar o sol vermelho
Nem sei se as estrelas ainda estarão no mesmo lugar
Tens a certeza que serás o meu reflexo no espelho?
Ou meus olhos terão de poisar noutros para caminhar?

Não sei, não sei
Se te amarei.
Por isso, amo-te hoje
Se te sinto bem perto
E não te quero longe

És o meu livro aberto.

15.04.12

quinta-feira, 12 de abril de 2012

DOU-TE ESTE POEMA (SEM QUERER)



Dou-te este poema amor, (talvez) sem querer
Falo-te do que sinto mesmo sem o saber fazer

Desculpa este modo desajeitado de te escrever
É tão forte e tão imenso este meu (a)mar
Acabo com os olhos num cálice de fogo a arder
Sempre de mão dada com a chuva a chorar

Dou-te este poema amor, (talvez) sem querer
Ao mesmo tempo que trago meu peito a ferver
Quanto mais rasgo tudo o que tenho de ti
Querendo-te longe, tenho-te em mim, aqui

Podes rir… ri desta rapariga desajeitada que te ama
Que te imagina a seu lado partilhando a mesma cama
Que te espera todas as noites de luar e te chama…

Que importa a dor, se estou ou não a sofrer?!
Dou-te este poema amor, (talvez) sem querer.

11.04.2012

CELINE DION – IT’S ALL COMING BACK TO ME NOW
http://www.youtube.com/watch?v=pDxoj-tDDIU&ob=av2e

quarta-feira, 11 de abril de 2012

CALVÁRIO DA VIDA - ANA COELHO E JESSICA NEVES



Repouso o pensamento
para abreviar as passagens
os muros da (in)certeza
esvaem-se na névoa da aurora


O vento molda-se aos meus dedos
Murmurando pela minha boca
Ascendo num arrepio entre medos
Nesta sede que me devora louca

Na demência de um não esquecimento

morro em cada passo lento
de uma tempestade alucinada
invento o silêncio...nele faço morada
No cálvario da vida sou pergunta sem resposta
Ácido de uma substância composta
Num voo de águia enjaulada
Se um dia fui tudo, hoje sou NADA!


Ana Coelho e Jessica Neves

terça-feira, 10 de abril de 2012

SILÊNCIOS (A DOIS)


Quantas não são as noites em que me afogo em silêncios teus?!
Silêncios esses que são (os) meus…

Chamo-te… chamo-te amor!
Visto meus olhos de tempestade
Procuro em meu corpo teu sabor
Morro! Fizeste-me acreditar na eternidade!

O que resta da aurora
Embriagada no teu leito
É orvalho que no meu peito chora
Onde me dispo (de ti) neste verso imperfeito

A vida é um (a)mar de pedaços

O amor faz-se a quatro braços
Faltam-me dois
Essenciais – os teus
Não (me) deixes p’ra depois
Não me obrigues a rogar aos céus.

Queria sentir teu forte abraço
Gritar bem alto a liberdade
As minhas mãos entrelaço
Para que se vá embora a saudade!

09.04.12
DAMIEN RICE - THE BLOWER'S DAUGHTER

sábado, 7 de abril de 2012

HÁ UM ANEL NO TEU SORRISO



Há um anel nesse sorriso
Suspenso pelo teu olhar
Se abre quando é preciso
E fecha-se pelo embalar
Te envolve assim menina
De flores de muitos fragores
Que qualquer olhar desatina
Rodeado de tantas cores

Nesse teu sorriso há um anel
Que poisa versos em meu peito
Trazendo sabor e aroma a mel
Se roubo teus olhos e me enfeito

E ao saber-te assim menina
De corpo e alma tão cristalina
Te quero tanto e te desejo
Que da tua boca pequenina
Só espero um sublime beijo


Há um anel nesse sorriso
Mesmo visto de soslaio
Que ao olhá-lo ironizo
Seja em Abril ou em Maio
Que do rosto que sustém
Emana a graciosidade
De um caminho que provém
Daqui à eternidade.

Jessica Neves e António MR Martins

sexta-feira, 6 de abril de 2012

(AMOR) FOI ONTEM A PRIMAVERA




Amor, foi ontem a Primavera!
Trazia-te em rosas os olhos rasgados
Tantos foram os poemas declamados
Ainda há um abraço à tua espera!

A sede que dos teus beijos trago
O laço (e)terno de cada afago
Do meu corpo jamais (te) apago

Amor, foi ontem a Primavera!
Poisavam andorinhas na minha mão
Desenhava-se no céu a nossa união
Ainda há um sorriso à tua espera!

É no presente d’Outono que te quero
Ao ver as folhas carcomidas desespero

Se um dia se cruzarem outros olhos com os teus
Outras mãos (sem serem as minhas) com as tuas
E se os teus lábios não forem mais os meus
No meu olhar não haverá mais sóis nem luas

Sei que foi ontem a Primavera
Traz papoilas rubras e volta
Não quero que sejas quimera
Dum amor que anda à solta!
05.04.2012

MR BIG – TO BE WITH YOU
http://www.youtube.com/watch?v=5QD5n98R_nk

quinta-feira, 5 de abril de 2012

DUETO: JESSICA NEVES E ANA COELHO - (RE)POUSA EM MIM

(Re)pousa em mim
Ao pulsar do coração
Aroma de alecrim
Verso sem razão…

Chega-te em sossego
Num ameno desfiar
Onde as emoções em elo
Se tocam num único abraçar…

Vem e traz em teu peito
Lírios roxos dos teus olhos
Gestos de amor perfeito
Embriagados em nossos folhos

Verseja fragrâncias
Com palavras cálidas
No silêncio salutar
Renascidos na plena essência!

04.04.2012

quarta-feira, 4 de abril de 2012

(PERMANECE) COMO TATUAGEM


Esta noite quero-me em ti tatuada
Que sejamos pássaros (s)em ninho
Poisando versos d’amor pela almofada
Forrada com laços de mãos de linho

Vem fruto irresistível que te (a)colho
Sou o ramo da árvore que te chama
Se soubesses o que sinto se te olho
Sabias que sou eu quem mais te ama
Teus lábios ávidos de papoilas roxas
 Fazem dos campos nossa paisagem
Rasga-se o peito aquando as coxas

A epiderme junta prova que a química
Entre nós permanece como tatuagem
O nosso amor alimenta-se em mímica.
30.03.2012
Bryan Adams - Have You Ever Really Loved A Woman
http://www.youtube.com/watch?v=hq2KgzKETBw

terça-feira, 3 de abril de 2012

PORO A PORO


Beber-te, soletrando-te poro a poro
(Ab)sorvendo-te gota a gota, breve
Renascendo em cada recanto te enamoro
No íntimo sussurrar do amor, leve

A tua pele à minha chamo
Num beijo que pede um laço
Loucamente te amo, te amo
Ao conforto de um abraço

Teus olhos dedilham a espuma
No melhor pranto de Inverno
Corpos enlaçam-se como pluma
Meu amor, que seja eterno
(Que seja ETERNO!)

02.04.2012

MICHAEL BOLTON – WHEN A MAN LOVE A WOMAN
http://www.youtube.com/watch?v=oZGE-Y1C_nk

segunda-feira, 2 de abril de 2012

DEIXA-ME OLHAR (O SOL) PELO TEU SORRISO


Hoje não trago rosas nem versos rasgados
Nem sei quem roubou o meu jardim
Não trago poemas em nós embriagados
Nem pozinhos de perlimpimpim
Já vi meninos de bibe sorrindo
Hoje todo o céu se veste de escuro
Vejo andorinhas do Inverno fugindo
E todos os olhos se escondem do muro

Hoje trago o corpo e as mãos em ferida
E um significado trocado da vida
Falta-me o maior equilíbrio da balança

Empresta-me o olhar que preciso
Enche-me as mãos vazias d’esperança
Deixa-me olhar (o sol) pelo teu sorriso.
26.03.2012
IVETE SANGALO – SE EU NÃO TE AMASSE TANTO ASSIM
http://www.youtube.com/watch?v=tlavXSWjwFc

FOTOS EVENTO DE POESIA - 1 DE ABRIL EM ALENQUER - TERTÚLIA POÉTICA - TRÊS GERAÇÕES NA POESIA

Após uma tarde muito bem passada deixo as fotos que marcaram alguns dos muitos e bons momentos ontem, dia 1 de Abril, em Alenquer, na Tertúlia Poética com três gerações na poesia.
Agradeço à querida poeta Ana Coelho o convite para participar no evento de poesia que me deixou muito feliz (e nervosa por ser a primeira vez numa Tertúlia) mas foi gratificante e correu tudo bem.
Ana Coelho e Joel Lira foi um prazer enorme partilhar a mesa com vocês os dois.



Na mesa: Jessica Neves, Ana Coelho e Joel Lira

A "poeta do amor sensual" (Jessica), a "poeta da sensibilidade" (Ana Coelho) e o "poeta do desassossego" (Joel Lira)



Antonieta Oliveira e Jessica

Família
 
Os três poetas da tertúlia "Três gerações na poesia"

Ana Coelho e Jessica

Conheça mais da poesia de Ana Coelho em:
http://anacoelho-fiosdohorizonte.blogspot.pt/

Procure o poeta Joel Lira no facebook!

domingo, 1 de abril de 2012

ENSINA-ME A AMAR(-TE)



Ensina-me
O caminho que tenho que percorrer
Para chegar ao teu abraço
Só assim me sinto completa e mulher
Num aperto sem qualquer espaço

Ensina-me
A pintar-te com os meus lápis de cor
No enlace das mãos em horas vazias
(Re)cheio dum sorriso com licor
Se as noites de sol pecam por tardias

Ensina-me
A ser o teu troféu em tempo atroz
Combatendo em teu corpo cada declive
Entoando um cântico a uma só voz
Demonstrando que o amor (sobre)vive

Ensina-me
A dedilhar versos que nunca leste
Por teus ramos d’árvore de fruto
És o botão de rosa que me veste
Sem ti minha alma ficará de luto

Ensina-me
A correr atrás de ti feita gazela
Para te dar o melhor calor de Verão
Dizer-te ao ouvido que a vida é bela
Sem confundir carinho com paixão

Ensina-me
A renascer a cada derrota
Sem largar a tua mão
Sei que posso mudar de rota
Sem saíres do meu coração
Ensina-me
A acreditar que o amor não tem hora
Não deixes que me precipite
O mais importante é (o) agora
E hoje o amor não tem limite
Ensina-me
A amar-te pelo que és
Fascina-me
Amar-te da cabeça aos pés!
30.03.2012
TRIBALISTAS – VELHA INFÂNCIA
http://www.youtube.com/watch?v=MYssCy_8J3I

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...