BEM-VINDO(A) AO BLOG DE JESSICA NEVES *





(ÉS O MEU) LIVRO ABERTO

Desfolho-te como seda
Coberta de lantejoulas
Afasto a cortina lentamente
Pedaço a pedaço
Que bom é ler-te
Entre o jardim banhado em mel
E a cascata desnudada
No horizonte da tua sombra
Aragem perfumada de canela
Com pitada de pimenta
Ler-te é cegamente
Aquilo que me alimenta
Nas entranhas do meu ser.

25.09.2011











Aprecie as pequenas coisas da vida. São as mais belas e as mais intensas. Lembre-se que essas são as melhores.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A MÃE NATUREZA

Serra da Estrela, Julho 2011

Essência bonita
Doce aragem
Com a sua pureza infinita
Desfruta-se duma bela paisagem

Vista colorida
Essa que me incentiva
Que me dá vida
Por mais que viva
Não me canso de observar
E da sua forma natural admirar

Os verdes campos
De maravilhosos encantos
Com as suas colheitas
Tudo à volta enfeita

Todas as paisagens naturais
Desde as plantas aos animais
Fazem com que a Natureza
Tenha vida e grandiosa beleza

A Natureza é mãe
De mil e uma vistas que tem
Dela devemos cuidar
E constantemente desfrutar!

06.08.2011

terça-feira, 30 de agosto de 2011

PEDIDO















Pede-me para escrever
Que eu dou-te algo para ler
Pede-me só um verso
Que eu descrevo o universo

Pede-me a lua
Que eu faço com que seja tua
Pede-me o mar
Que eu vou-to entregar
Pede-me uma estrela
Que eu p’ra ti roubo a mais bela

Pede-me o tempo num compasso
Que eu dou-te o mundo no espaço
Pede-me só o que quiseres
Que eu realizo-te onde estiveres

20.08.2011

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

PAIXÃO FUGAZ















Esta é a história de um rapaz
Que vive um desgosto fugaz
Não tem sorte
E até chega a desejar a morte

É um moço bem apresentado
Quando conhece a sua amada
Fica logo apaixonado
Mas ninguém percebe,
Nem a pobre coitada

Ele dá nas vistas
Dá-lhe várias pistas
Mas não tem sorte
E perde o norte

Tenta ir atrás
Mas percebe que não a satisfaz
Ela quer fugir
E ele não consegue impedir
Fim triste o do rapaz
Que não consegue ser eficaz

Por momentos sente-se perdido
A vida não faz sentido
Mas logo viu que tinha sido uma paixão fugaz
E que não valia a pena olhar para trás

A vida pregou-lhe uma partida
Segue de cabeça erguida
Afinal foi só paixão
Que passou como um furacão

07.08.2011

domingo, 28 de agosto de 2011

DESABAFO

Parque Guell - Barcelona, Abril 2011


Hoje vou escrever
Até o braço me doer
Não é que tenha vontade
Digo a verdade
Não tenho é nada que fazer

Vou-me deixar seduzir
Vou-me soltar
Vou tentar relaxar
E se possível me divertir

Escrevo muito
Às vezes nada de jeito
Mas são palavras
Que me saem do peito

Onde devo terminar
Ninguém me diz
Então só vou parar
Quando acabar o lápis.

05.08.2011

sábado, 27 de agosto de 2011

PALAVRAS AO VENTO

Parque Guell - Barcelona, Abril 2011
Escrevo de negro reflectindo o meu estado de espírito.
Perco-me na incerteza que me invade e me pergunta quem sou.
Apodera-se de mim uma mente fraca que congela a minha alma e o meu espírito apagado. Nada flui...
Vagueio perdida na imensidão do meu pequeno Mundo. Observo, paro... recuo ou avanço? Padeço imóvel.
Tudo pára... E neste preciso momento encontro-me entre a espada e a parede nesta enorme esfera que tudo engloba, designada Mundo.
Na verdade, estou incapacitada.
No entanto, acabei por recuar no tempo. Refugio-me na dor que se alastra cada vez mais, queimando-me lentamente o corpo por dentro.
Embevecida, lanço o meu olhar no passado, recordando-o como uma bela lembrança que me põe um largo sorriso no rosto por todos aqueles inesquecíveis momentos. Por breves longos instantes, penetro-o na minha mente de forma dominante. Reviveria tudo novamente de modo tão intenso que me fizesse acreditar que perduraria para toda a eternidade.
Baseio-me no passado tentando trazê-lo de volta para o presente. Irei conseguir? Estarei demasiado presa ao passado? Ou estarei dependente dele para seguir em frente?
"Já estive mais perto, mas também já estive mais longe... Um dia chegarei lá? E se conseguir e ninguém o testemunhar? É importante que acreditem ou bastar-me-á saber que lá cheguei?"
Permaneço na dúvida...
Vou em busca e respostas para essa incógnita que tanto assusta, o Futuro!


(Texto redigido há uns anos atrás)

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

SÓ A TI












Quero aquecer-te com um beijo
Seduzir-te com um olhar
Conquistar o teu desejo
Numa noite de luar

Quero a ti me pegar
Como a areia se pega ao mar
Só a ti quero ter
E contigo o valor da palavra amor aprender

Só a ti me quero entregar
Só contigo quero caminhar
Porque só o teu amor merece
O que no meu coração permanece

18.08.2011

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

HÁ DIAS ASSIM


Peniche, Agosto 2011




























Já sorri sem ter vontade
Já magoei sem necessidade
Já tropecei em alguém
Já quis mal a quem me quer bem

Já chorei a reclamar liberdade
Já me declarei demonstrando sensibilidade
Já senti sem ter certeza
Já tirei ao amor toda a sua beleza


Já ateimei sem ter razão
Já troquei a cabeça pelo coração
Já omiti p’ra não dizer a verdade
Já corri p’ra fugir da falsidade


Já fiz sofrer por amor
Já ultrapassei a perda e a dor
Já olhei de lado as coisas más
Já deixei o orgulho p’ra trás


Já da vida tirei mais que uma lição
Já vi o mundo com outra visão
Já parei p’ra pensar
Já necessitei de me afastar


Já achei que ia fraquejar
Já cai e já me levantei
Já com uma só palavra ajudei
Já consegui em mim acreditar


Já tive medo e já me escondi
Já tive coragem e assumi
Já fiquei mal por minha culpa
Já inventei mais do que uma desculpa


Já pensei que não era capaz
Já errei e tentei voltar atrás
Já achei que ia perder
Já lutei e acabei por vencer

24.08.2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

INEXPLICÁVEL


Não consigo explicar
O que estou a sentir
É uma coisa tão grande
Que não se consegue medir

É amor
Não consigo arranjar explicação
É sentimento
É tudo o que ocupa o meu pensamento

Amor
Sentimento sem definição
Amo-te muitas vezes não é justificação
Para tudo aquilo que sinto
É apenas uma palavra
Que em mim começa
E em ti acaba

20.08.2011

terça-feira, 23 de agosto de 2011

MUNDO MEU



Vivo no meu mundo
Comunico pouco com o exterior
Sobrevivo num poço sem fundo
Refugio-me no meu interior

Mundo, onde estás?
Não me mates lentamente
Como uma ferida que dói a quente,
Devolve-me a paz

Peço-te por favor
Dá-me o que preciso
Não faças alastrar a dor
Dá-me o teu abrigo

Não me deixes agora
Perdi-me no tempo
Esqueci a hora
Agora é o momento
De me dares a mão
Preciso de ti
Apazigua o meu coração

Mundo meu
Dá-me o que é teu
Dá-me só a tua mão
Para não cair no chão.

12.08.2011

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

METADE DE MIM




Metade de mim pede p’ra ficar
Outra metade diz-me p’ra fugir
Metade de mim implora p’ra te amar
A outra metade tenta-me impedir

Metade de mim pede-me p’ra sorrir
Outra metade põe-me a chorar
Metade de mim não te consegue ouvir
A outra metade só pede p’ra te escutar

Metade de mim está indecisa
Outra metade sabe que só de ti precisa
Metade de mim somos nós
A outra metade não suporta sequer a tua voz

Metade de mim só te sabe amar
Outra metade pede p’ra te odiar
Metade de mim está aqui
A outra metade está junto de ti

19.08.2011

domingo, 21 de agosto de 2011

PENSAR NA VIDA

Peniche, Agosto 2011
Dou por mim a pensar na vida
Como mais uma página lida
De uma história viciada
Que um dia já foi contada
Uma história
De quem tem tudo e não tem nada

Vida essa
Que todos os dias
Para alguém acaba ou começa

Vida essa
Que cada dia tem uma nova peça
Como um puzzle que se vai construindo
E até destruindo

Pensar na vida
É pensar em algo abstracto
Algo que não é exacto
Por não sabermos como será vivida
Nem qual o ponto de chegada
Nem qual o ponto de partida

É como ver o pintor
Pintar ao pormenor
Sem saber bem o quê
E perguntando o porquê

19.08.2011

sábado, 20 de agosto de 2011

A SÓS

Barcelona, Abril 2011
Olho para trás
Talvez te vá perder
O tempo não volta
Sinto que nunca mais te vou ver
E tu ficas no mundo à solta

O céu escureceu
O meu corpo congelou
A minha mente desabou
O meu olhar esmoreceu

No sol já não vejo o brilho
Contigo já nada partilho
Que vida triste
No momento em que partiste

Recordo o teu rosto
Com todo o gosto
Pena ser só lembrança
E não haver qualquer esperança
Para nós
Fico então a sós.

                                                            31.07.2011

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

DESEJO A DOIS



Juntos passeamos pela margem do rio
Toco a tua mão com suavidade
O teu rosto macio
Sentindo a tua perfumada pele
E deixo os meus lábios tocarem
Na tua doce face
Com um beijo molhado
Na tua testa e nas tuas bochechas
Redondas e lindas…
Quero deixar a minha marca
Pelo teu corpo…
Preciso do teu consentimento,
Dás-me a tua permissão…
Deixo as minhas mãos húmidas
Correrem lentamente pela tua face
Perco-me no teu olhar
Porque só nele vejo a nossa luz
Que tem o reflexo do nosso terno amor …
Não consigo evitar tocar os meus labios nos teus,
Num beijo ardente,
Sentindo o calor do teu corpo
Deixo-me seduzir
E nele percorro os teus belos contornos
Com as minhas mãos intensas
Em cada pedaço de ti…
De olhos fechados,
Sentes o meu toque
E apenas retribuis…
Corpos encaixados
Formam um só
Não nos falta nada,
Temo-nos um ao outro
A entrega fala mais alto
Rendemo-nos ao prazer…

17.08.2011

RECORDAR É VIVER





Em criança era assim
Memórias guardo de mim
Recordo o que passou
De feições pouco ou nada mudou!

18.08.2011

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

PURA INGENUIDADE




Juventude
Da mais pura ingenuidade
Nos eleva em altitude
A mais pura simplicidade.

A criança nunca mente
Diz sempre o que sente
É um ser consciente
E um pouco impaciente.

Mas é sempre sincera
Tem uma doçura
Completamente pura
Nunca se sabe o que se espera.

05.07.2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

HOJE





















Atrevo-me a dizer
Que hoje me sinto bem
Não me posso esquecer
De partilhar isto com alguém.

Nada do que fizer será em vão
Apetece-me ouvir só o coração
Deixo-me levar
Sem saber onde vou parar.

Vou correr sem destino
Vou virar o mundo
Ao fazer o pino
Vou ajudar alguém
A sair de um poço sem fundo!

Hoje é o meu dia
De sorrir até não poder mais
De explodir de alegria
Porque rir nunca é demais!

14.08.2011 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

MÚSICA



Que belo som
Que grande melodia
Que prazer bom
De noite e de dia!

Para ouvir em todos os momentos
A música define sentimentos
A música define o estado de alma
Quer seja agitada ou calma...

Gosto de música calma
Nos momentos de reflexão
Porque me acalma
Gosto de música pop
Pela sua agitação
Porque me faz sentir no top!

Gosto de estilos variados
E até misturados
Gosto de rock
Devido ao intenso toque
E até gosto de fado
Pelo sentimento nele depositado!

Ouço a todos os instantes
Ouço quando não estou bem
E quando estou feliz também
Ouço em circunstâncias importantes.

Que doce harmonia
Que bem-estar
Que gigante companhia
Do início até acabar.

Que grandiosa arte
Transportada para a realidade
A música é de todos nós uma parte
Cheia de intensidade!

18.07.2011


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

FLOR COMO TU













Caminho no meio de flores
Encanto-me com os seus odores
Colho uma p’ra te dar
Coloco no teu cabelo p’ra te enfeitar

Sinto o nosso amor
Dos teus lábios recordo cada sabor
Sinto em mim o teu aroma
Que a flor só por si toma

Tu és como a flor
Em cada pétala tens um pouco de amor
Desejo sempre ter-te
Não imagino como seria perder-te.

10.08.2011

domingo, 14 de agosto de 2011

CONCRETO

Não vivo de ideias abstractas
Vivo de ideias concretas
Ideias correctas
De quem cumpre a sua palavra.

Não vivo de ilusão
Vivo com a razão
Não vivo de indecisões
Não questiono
Logo me posiciono
Vivo das minhas opiniões

Uma ideia definida
Não pode ser uma mente arrependida
É um voto de consciência
É uma virtude
De quem não se deixa levar por influências
De quem pouco ou nada se ilude

Palavra só tenho uma
Quem me conhece
Não se esquece
Que não tenho mais nenhuma.

09.08.2011

sábado, 13 de agosto de 2011

RETRATO DO TEU ROSTO

Idealizo a meu gosto
Com muito ou pouco jeito
Cada traço do teu rosto
De modo que fique perfeito

Imagino na minha posse
A tua face doce
Os teus olhos abertos e brilhantes
Por me verem ficam radiantes

As tuas sobrancelhas bem feitas
E as tuas pestanas enormes
Diria que são mesmo perfeitas
E dispensam pormenores

Os teus lábios grossos
E o teu sorriso rasgado
São bastante apetecíveis
Lembram-me momentos nossos
Aqueles momentos inesquecíveis…

Para completar
Esta descrição breve
Toco a tua macia pele
Doce como o mel
O teu cabelo suave e leve
Também as tuas orelhas pequenas
Que continuo a contemplar
Num louvor apenas

08.08.2011

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

VERÃO


Época de calor
Sobe a temperatura
E o termómetro do amor
Ou talvez da paixão

Muita aventura
Muita diversão
Alguma loucura
É tempo de agitação
E tempo de sedução

Quando o sol abre a cortina
Conduz à praia ou à piscina
Corpos destapados
Muito ou pouco cuidados
A paixão paira no ar
As crianças adoram brincar
Todos fazem por se divertir
E passar o verão a sorrir

As pessoas aproveitam as férias
Deixam-se seduzir
Põe de parte as lérias
Passam o verão a curtir!

10.08.2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

SOMBRA













Procuro-me
Nas entrelinhas
De sombras minhas
Particularmente
Numa sombra atenta
Que me persegue e atormenta

Sombra que me acompanha
Que me apanha
Sem contar
Sombra da qual me quero livrar
E não sei como
Nem que medidas tomo

Essa sombra não me afaga
Não me dá o que preciso
Tudo em mim apaga
E tira-me o sorriso

Nela me cerco
Sou um ser sem vida
Em mim me perco
É a única coisa que tenho como garantida.

07.08.2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

UMA SÓ COISA: TU

Mil e uma coisas eu podia inventar
Até um código para decifrar
Mil e uma coisas eu podia escrever
Tudo para te dizer:
És tu quem eu quero ter!

Até ao luxo me podia dar
Da ordem das palavras trocar
Mas para quê?
Toda a gente vê!

Só tu não queres ver
Pareces não querer entender
Que por ti morro de amor
E com a tua ausência de dor.

Abre a página do teu livro
Deixa-me ser um pedaço
Só contigo eu vibro
Quero invadir o teu espaço.

01.08.2011

terça-feira, 9 de agosto de 2011

ENCANTO NATURAL

A menina não usa perfume
Tem o seu brilho natural
Queima como lume
E não é artificial

Consegue ser ousada
Sem muito se produzir
Anda sempre acompanhada
Amiúde deixa-se seduzir

Tem uma doçura inocente
Embora seja consciente
Que todos caem de espanto
Com o seu genuíno encanto

As coisas simples
São as mais belas
A menina é simples
Logo, é como elas!

07.08.2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

PRISIONEIRA DE TI



De traços doces
Assim queria que fosses
E não és
Jamais me renderei a teus pés

Sinto um enorme vazio
Dentro de mim
Que não tem fim
Por seres tão frio

Quero correr o perigo
De me libertar de ti
Quero ver se consigo
Fugir do pé de ti
 
Porque é que eu te chamo
Quando não estás
Porque é que eu te amo
e esqueço o que a tua frieza me faz?

O momento tudo traz
Guardo as coisas más
Não consigo ter-te comigo
Nem sequer como amigo.

30.07.2011

domingo, 7 de agosto de 2011

Poesia: PEDAÇOS DE MIM



 
Palavra intensa
Oriunda do pensamento
Especial e imensa
Sai no momento
Imaginação jamais dispensa
Adicionada com sentimento

Razão de escrever
I
ntensidade crescente 
M
elodia no coração
A
calma a gente


C
ada pequena linha
O
rganização minha
M
ágica, trágica

A
nseio por desabafar
L
iberdade em primeiro lugar
Essencial à vida
G
uardo cada despedida
R
apidamente me socorro
I
nconscientemente morro
A
penas escrevo versos


Versos amigos
E
que combatem perigos
R
imas coloridas
S
ão vivências divertidas
O
u também sofridas
S
ão apenas desabafos

Desde que escrevo poemas
Elevo a criatividade
Saboreio cada um dos temas
Apenas com emotividade
Basta ter coerência
A
dicionando a inteligência
Funciona na perfeição
Ouvindo a razão e o coração
São pequenos pedaços de mim

PEDAÇOS DE MIM,
Versos sem fim,
Escrevo e nada espero
Escrevo porque poesia venero!



13.07.2011

sábado, 6 de agosto de 2011

CORRIDA NOS BOSQUES












O cão e o coelho decidem fazer uma corrida
Para ver quem chega em primeiro
Mas sem nenhum ser batoteiro!

O maior problema do coelho
É que já é velho
Mas ainda dá saltos
E são bem altos
Já o cão
Das maratonas é um campeão!

A corrida é nos bosques
Para ver quem dá primeiro de
frosques

É dada a partida
Em alta voz
O coelho não a respeita

P’ra
conseguir vencer
Até a fazer batota se sujeita
Mas o cão é mais veloz
E o coelho acaba por perder.
 

O cão diz ao coelho:
- Lá por seres cota
Não devias ter feito batota
Podias ganhar
Se andasses a treinar!

O coelho respondeu:
- Tens razão
Mas tu és mais forte que eu
Não tinha outra solução!

O cão exclamou:
- Devias saber
Que o caminho mais fácil
Nem sempre é o melhor
Toca a aprender
Para não seres sempre o pior!
O coelho pensativo afirmou:

- Desculpa, tens razão amigo
Obrigado por estares comigo
Prometo que da próxima vez
Para ganhar
O melhor de mim vou dar!

29.07.2011

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

GOTAS DE ÁGUA











Gotas de água
Me escorrem pela face
Com muita mágoa
Espero que tudo passe

Mente perdida
Gota persistente
Que cai lentamente
No meu rosto sem vida
Que me impede de ser gente

Gota que cai
Que perdura
Lágrima que não sai
Que só o tempo cura
Gota transparente
Que não me deixa ir em frente

Lágrima amarga
Com uma pesada carga
Sob o meu rosto
Que se encontra deposto

02.08.2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O BRILHO DO ESCURO


Sinto a noite
Como algo que me apazigua
Tal e qual a Lua
Toda iluminada
Abrilhantada
Que me transporta para outra realidade

O escuro da cidade
Ao meu olhar
Traz outra intensidade
Faz-me sonhar

A cidade no escuro
Aquele brilho
O brilho puro
Que só contigo partilho

Vamos dar a mão
Juntar o meu corpo no teu
Ao som de uma bela canção
O escuro da cidade
Afinal renasceu
E veio p’ra ficar de verdade


02.08.2011
Barcelona, Abril 2011

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

REFÚGIO

Quando penso que já esgotei a imaginação
Encontro outra razão
Outro motivo
Outra explicação
Ou até improviso
Para não parar de escrever
Que é um vício
Como o vício de comer

Pego na varinha de condão
Começo a escrever
Transformo a imaginação
Em algo que se possa ler

Escrever
É uma razão de viver
Uma forma de expressão
De quem não tem nada a perder
E se deixa levar pelo coração

É uma forma de me refugiar
E nunca me calar
É não me limitar a olhar
Mas passar para o papel
Aquilo que observo
Aquilo em que estou a pensar
Aquilo que preservo.


02.08.2011

terça-feira, 2 de agosto de 2011

O OLHAR DA ALMA













O olhar
Define a pessoa
Consegue decifrar
Se ela é má ou boa

Um olhar
Define a identidade
É um gesto da alma
E o rosto da personalidade

Um olhar
É a resposta da mente
Que só a alma sente
E consegue visualizar

Não é preciso divagar
Para perceber o olhar
Um olhar intenso e sincero
É o que sempre espero

Muitas pessoas pensam que não
Mas o olhar também desvenda o coração
É fácil perceber
Se está saudável ou a sofrer

O olhar muito diz
Estando triste ou feliz
Não esconde nenhum segredo
Mas por vezes, transmite medo

Um genuíno olhar
É uma chama acesa
Com uma pureza
Difícil de alcançar.


30.07.2011

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

MAR PARADISÍACO

 
Numa noite de luar
Observei o mar
E fiquei encantada
Com tanta beleza imaculada!

Como uma doce presa
O mar as ondas enrolou
Mas não foi isso que me encantou:
Foi a sua pureza!

Essa bonita paisagem
E os grãos de areia sobre os pés
Levaram-me a uma viagem
E fizeram-me lembrar de como és!

Talvez sem nexo
Comecei a imaginar-te
Vi o teu reflexo
Como uma obra de arte!

As ondas do mar
Fizeram-me recordar
Os teus cabelos
Ondulados e belos!

Infinitos grãos de areia
Como uma grande teia
Sem fim
Representavam o que és para mim!
                                                 

 
28.07.2011
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...